Energia solar térmica e fotovoltaica são a mesma coisa?

Embora utilizem a mesma fonte de energia, as modalidades térmica e fotovoltaica têm diferenças importantes. Descubra qual é a solução ideal para sua necessidade.

O crescimento da popularidade da energia solar faz com que essa tecnologia esteja cada vez mais acessível para os brasileiros. Abundante, limpa e renovável, a energia solar oferece um leque cada vez mais amplo de possibilidades de utilização, entregando resultados mais específicos para diferentes interesses. Com o aumento na busca pela energia solar, é natural que surjam dúvidas sobre sua aplicação. Enquanto algumas questões são mais frequentes, como o funcionamento da energia solar em dias nublados e chuvoso, outras dúvidas são mais complexas. Por exemplo, quais são as diferenças entre a energia solar térmica e a fotovoltaica?

Entenda as diferenças

A principal diferença entre os dois tipos de energia elétrica solar é que uma tecnologia produz eletricidade e a outra geralmente é  utilizada apenas para aquecimento de água. Porém esta modalidade pode também gerar energia elétrica, porém não diretamente como na fotovoltaica.  A diferença está na transformação da energia. Entenda melhor a seguir!

Energia solar fotovoltaica: eletricidade diretamente dos raios solares

Os painéis solares recebem a irradiação do sol e transformam a energia solar em energia elétrica por meio do efeito fotovoltaico que ocorre quando partículas de luz solar colidem com os átomos presentes no painel solar, gerando movimento dos elétrons e criando a corrente elétrica contínua (CC). Através dos inversores (CC-CA) a energia elétrica gerada em corrente contínua é transformada em energia elétrica de corrente alternada (CA) que é a mesma utilizada pelos equipamentos elétricos da residência, comércio ou indústria.

Por se tratar de uma energia renovável, o Brasil possui incentivos para quem optar por utilizá-la. Entre eles destacam-se a isenção do ICMS sobre a energia excedente do sistema e a Resolução Normativa 482/2012 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Energia solar térmica: o calor do sol no aquecimento de líquidos

Apesar de também se tratar de uma tecnologia de geração de energia elétrica renovável, essa modalidade transforma a irradiação solar em calor. Esse processo utiliza cerca de 90% do calor da irradiação solar.

Na produção da energia solar térmica, os raios solares são captados por espelhos, que concentram a alta temperatura em um receptor. Em seguida, a energia aquece um fluido presentes nesse receptor em tubos internos. O armazenamento dessa energia solar através do aquecimento do fluido pode proporcionar a utilização dessa energia como:

  • Energia térmica para aquecimento de outros fluidos;
  • Energia mecânica de acionamento mecânico de sistemas de produção
  • Ou pode ser transformada em energia elétrica, utilizando a energia mecânica para o acionamento de geradores

Vantagens, diferenças e semelhanças

A energia solar térmica é uma tecnologia mais difundida no Brasil se comparada com a energia solar fotovoltaica, até por conta do custo mais acessível. Normalmente, ela é usada em processos industriais e também para o aquecimento da água, que passa a dispensar o uso de chuveiros elétricos. No entanto, em locais mais frios, essa energia também serve como aquecedor de ambientes.  Se a sua intenção é fazer o aquecimento de água ou até em processos industriais, como acontece por exemplo nas indústrias têxteis, de tijolos e de processamento de alimentos, a energia solar térmica pode ser a solução.

Por outro lado, apesar do maior valor de investimento, a energia solar fotovoltaica tende a produzir vantagens ainda mais interessantes. Como por exemplo o já mencionado desconto na conta de luz, especialmente a longo prazo. Além disso, oferece uma fonte de economia mais completa, já que pode contemplar todos os eletrodomésticos e tem uma utilização mais ampla, abrangendo diversos segmentos. Ou seja, tanto a energia solar fotovoltaica quanto a energia solar térmica mostram ser boas formas de eficiência energética e de economia. Com semelhanças e diferenças, os dois sistemas podem se tornar grandes aliados na redução dos gastos com energia.

Com as informações acima você já pode escolher qual delas atende melhor às suas necessidades, analisando fatores preponderantes, como valor de investimento e necessidades de utilização.